Ceresi promove encontro temático sobre Alzheimer e outras demências

O Centro de Referência à Saúde do Idoso (Ceresi) vai promover nesta quinta-feira (20) o encontro temático “Conversando sobre a Doença de Alzheimer e outras Demências”. Totalmente gratuito e destinado aos profissionais que atuam na área do envelhecimento, familiares e cuidadores de pacientes acometidos por essas enfermidades, o evento será realizado das 8 às 12 horas, no salão de artes do Adamastor Centro (avenida Monteiro Lobato, 734 – Macedo), onde também haverá exposição de artes produzidas pelos freqüentadores do grupo de pintura e artesanato do órgão.

O objetivo é disseminar conhecimentos a respeito do diagnóstico, tratamento e manejo na doença de Alzheimer e outras demências, enfatizando a importância da rede de cuidados ao paciente e seus familiares. Para tanto, o tema será tratado por profissionais de várias áreas do conhecimento, como médico geriatra, assistente social, educador físico, nutricionista e fisioterapeuta, que falarão sobre a importância da equipe multidisciplinar no tratamento da pessoa acometida.

Segundo informações da Organização Mundial de Saúde (OMS), publicadas pela Agência Brasil, Alzheimer é a forma mais comum de demência, responsável por 60% a 70% dos casos. A estimativa é de que, no mundo inteiro, 47 milhões de pessoas sofram de demência e, a cada ano, cerca de 10 milhões de novos casos sejam registrados.

Ainda de acordo com as informações da OMS na Agência Brasil, apesar de a idade ser o principal fator de risco para a demência, a doença não é uma consequência inevitável do envelhecimento e não afeta apenas as pessoas mais velhas, uma vez que o aparecimento de sintomas antes dos 65 anos de idade representa cerca de 9% dos casos. Além disso, a publicação revela que algumas pesquisas indicam vínculo entre a ocorrência de comprometimento cognitivo e fatores de risco relacionados ao estilo de vida.

Entre os fatores de risco para  o desenvolvimento da doença, destacam-se  sedentarismo, dietas não balanceadas, tabagismo, obesidade, consumo excessivo de álcool, diabetes e hipertensão arterial. Além destes, outros também são relacionados, como depressão, baixo nível educacional, isolamento social e inatividade cognitiva.

Por isso, a OMS e a Associação Internacional da Doença de Alzheimer evocam nações a considerarem a demência como crise de saúde pública e prioridade mundial para as políticas governamentais. O aumento da expectativa de vida, que já é uma realidade mundial, deve elevar para 25% o percentual da população idosa no mundo, aumentando assim a prevalência da doença e a necessidade de capacitação da rede de atendimento ao idoso com demência, bem como o suporte social à família que o assiste.

Programação:

  • 8h - Credenciamento
  • 8h30 - Abertura
  • 8h45 - Apresentação Dança Sênior (Ceresi e UBS Inoocop)
  • 9h - Palestra “Desmistificando a Doença de Alzheimer e outras   Demências”, com a Dra. Thais Nunes (médica geriatra)
  • 9h30 - Aspectos Sociais no Cuidado ao Paciente com Demência, com Regislaine Leôncio (assistente social)
  • 9h45 - Exercício Físico e Doença de Alzheimer, com prof. Gilberto Almeida (educador físico)
  • 10h     Intervalo
  • 10h15 - Apresentação Coral Ceresi
  • 10h30 - Nutrição e Doença de Alzheimer – Prevenção e Tratamento, com Flavia Gonçalves Ribeiro (nutricionista)
  • 10h45 - Abordagem Fisioterapêutica da Doença de Alzheimer, com Natalia Sperandio Cavaco (fisioterapeuta)
  • 11h - Debate (Sessão de perguntas e respostas), com Equipe Multiprofissional do Ceresi
  • 11h45 - Agradecimentos e encerramento

Imagem: Divulgação