Prefeitura abre sindicância e determina intervenção no Ambulatório da Criança

O prefeito Guti determinou a instalação de uma sindicância, por meio da portaria 396/2019, publicada no Diário Oficial da última sexta-feira, 26 de julho, para apurar denúncias que chegaram à administração municipal pela mídia. Segundo a emissora de TV, que levou ao ar reportagem na noite do mesmo dia, pelo menos quatro médicos lotados no Ambulatório da Criança de Guarulhos não estariam cumprindo a jornada de trabalho em sua totalidade.  

Assim que a administração foi informada sobre as possíveis irregularidades, Guti determinou que a Controladoria Geral do Município iniciasse as investigações a fim de apurar as responsabilidades. Fazem parte da comissão de sindicância três servidores municipais, que deverão investigar como se dava a ausência dos médicos durante o horário de trabalho, assim como a possível participação de outros funcionários municipais, que também poderão ser responsabilizados.  

Segundo Guti, os quatro médicos citados na reportagem assim como outros possíveis envolvidos terão todo o direito de defesa, conforme determina a lei. Entretanto, informa que comprovadas as denúncias todos serão punidos dentro do rigor da lei. “Não podemos condenar ninguém sem o amplo direito de defesa, por mais que as imagens apresentadas sejam reveladoras. Mesmo assim, para que as investigações ocorram com independência, os envolvidos serão afastados imediatamente”.  

Nesta segunda-feira pela manhã, a Secretaria Municipal de Saúde decretará a intervenção no Ambulatório da Criança, colocando no local uma nova equipe que irá gerenciar o equipamento a fim de que o atendimento à população não seja prejudicado. “Sabemos que se trata de um caso de exceção. Temos entre nossos médicos profissionais comprometidos e responsáveis que não admitem práticas como essa mostradas pela reportagem”, explicou. Desde que o caso se tornou público, diversos médicos que trabalham para a Prefeitura se manifestaram nas redes sociais seu descontentamento em relação aos colegas de trabalho que foram denunciados.  

Guti lembrou que desde o início desta gestão a Secretaria de Saúde passou a acompanhar de perto as jornadas de trabalho de todos os profissionais, alterando cargas horárias e exigindo o cumprimento do período na íntegra. “Criamos diferentes jornadas de trabalho para que os médicos adequassem seus horários de trabalho tanto na área privada como em outras esferas do poder público sem causar prejuízos à prestação de serviços à Prefeitura”, explicou. “Ou seja, fizemos uma readequação para que os médicos cumprissem toda a jornada sem prejuízos à municipalidade”, finalizou.