Auto Escola Villa Carmela

Prefeitura de SP diz que deputados visitaram hospital sem autorização

Parlamentares afirmam que fiscalizaram unidade
Prefeitura de SP diz que deputados visitaram hospital sem autorização

Após tomar conhecimento da visita de cinco deputados estaduais de São Paulo ao hospital de campanha do Complexo do Anhembi, realizada ontem (4), a prefeitura de São Paulo reagiu, afirmando que a abordagem foi feita sem autorização. 

Em vídeos que circulam em redes sociais, o grupo alega que se trata de uma fiscalização de interesse da população e é visto interpelando profissionais de saúde que trabalham na unidade, estruturada de forma emergencial para atender a pacientes com covid-19.

Em nota, a prefeitura afirmou que a passagem dos parlamentares pelo hospital transcorreu "de maneira desrespeitosa" e que incluiu agressões verbais e morais contra pacientes e funcionários.

No informe, também destaca que o grupo entrou nas instalações sem utilizar equipamentos de proteção individual (EPI), o que colocou em risco a saúde das pessoas que estão fazendo tratamento.

Segundo a prefeitura, o grupo, que teve a entrada barrada por seguranças, chegou a filmar pacientes sem que tivesse seu consentimento, sendo que muitos deles estavam sendo higienizados nos leitos no momento das gravações. 

"A prefeitura de São Paulo mantém transparência pública, tanto é que vários veículos de imprensa nacional e de outros países já visitaram as instalações, respeitaram as regras sanitárias para garantir a própria saúde dos pacientes e dos profissionais, bem como parlamentares que respeitaram as regras vigentes também já foram atendidos", acrescenta.

O hospital contempla 1,8 mil leitos e foi construído mediante a contratação do Instituto de Atenção Básica e Avançada à Saúde (Iabas), alvo da Operação Placebo, deflagrada pela Polícia Federal em 26 de maio, para investigar irregularidades que teriam sido cometidas pela organização social. 

No estado do Rio de Janeiro, o Iabas responde por sete dos nove hospitais de campanha abertos pelo governo e atrasou o cronograma de entrega das unidades.

Atualmente, 397 pacientes recebem tratamento na enfermaria do hospital do Anhembi, em São Paulo, e outros dez encontram-se em estabilização. Ainda segundo a prefeitura, desde que a unidade entrou em funcionamento, 3,7 mil pessoas já passaram pelo local, das quais 2,8 mil se recuperaram e tiveram alta.

 

Fonte: Agência Brasil